Guia de Boas Práticas para operadores de bivalves

guias boas praticas 1000

Boas Práticas de Higiene e de Aplicação dos Princípios HACCP para os Operadores de Bivalves Vivos
Autores: Pedro, S.; Cachola, R.; Nunes, M. L. 2008. Publicações avulsas do IPIMAR, 18, 37 pp.
Autores: Pedro, S.; Cachola, R.; Nunes, M. L. 2008. Publicações avulsas do IPIMAR, 18, 37 pp.

O Guia de Boas Práticas de Higiene e de Aplicação dos Princípios HACCP para os Operadores de Bivalves Vivos do IPMA consiste numa adaptação dos manuais /códigos de boas práticas internacionais existentes para bivalves para a realidade nacional da produção e comercialização dos moluscos bivalves vivos.

Tem como principal finalidade servir de suporte diário às atividades dos principais operadores de bivalves vivos, de modo a cumprirem os requisitos legais e seguirem as boas práticas de higiene, promovendo a qualidade e segurança destes produtos alimentares de origem animal.

Está dividido em várias etapas relacionadas com o circuito de produção dos bivalves vivos, desde a produção até à sua expedição. Encontram-se descritas as etapas consideradas mais relevantes, não estando incluídas as atividades relacionadas com os pectinídeos (como as vieiras), nem com a estabulação, afinação /transposição ou acabamento de moluscos bivalves vivos. Cada etapa contém as práticas e os procedimentos mais importantes a seguir, de modo a cumprir os diplomas respeitantes à higiene em vigor na União Europeia bem como a legislação Portuguesa. Os critérios ou requisitos de cumprimento obrigatório encontram-se assinalados pelos termos “deve” ou “devem” apresentados a negrito ou sublinhado.

Clique na imagem para aceder ao documento

DGRM

DGRM – Direção-Geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos